domingo, 22 de junho de 2014

Como Treinar o Seu Dragão 2 (anotações)

- EXPECTATIVA: Não gostei muito do primeiro portanto não espero gostar muito deste (achei OK como cinema, mas tive problemas com os valores da história - a questão do herói envergonhado, etc) .

- Animação bem feita, embora ache as imagens pouco atraentes (cores feias, sem vida).

- História é menos interessante que a do primeiro filme. No primeiro, além da descoberta do Night Fury, o menino era um desajeitado e precisava se provar. Aqui, ele já superou quase todo esse problema, então ele começa sem conflitos fortes (ele discorda do pai, mas numa questão superficial, de opinião, não se trata de um conflito entre valores importantes). Meta de proteger dragões do inimigo também não é tão interessante (o filme não cria muita empatia pelos dragões enquanto espécie - nem pelo "Banguela", que age mais como um cachorro coadjuvante do que como um personagem).

- SPOILER: Personagem da mãe não é gostável. Motivo que ela dá pra ter abandonado o marido e o filho por 20 anos não é convincente, e o fato do pai aceitá-la de volta sem nenhum questionamento também gera estranhamento pela situação e torna tudo meio artificial.

- SPOILER: Isso é uma implicância pessoal, mas o filme tem vários toques estranhos e desagradáveis -
Banguela comendo vômito de outro dragão, as piadas envolvendo a menina feia, ou mesmo aquelas coisas nojentas que brotam das costas do Banguela. Além de decisões estranhas de roteiro: pra que apresentar algo tão marcante quanto o dragão Alpha pra logo depois matá-lo? E pra que tornar Banguela num zumbi e fazê-lo matar o pai de Soluço? Que relevância pra história tem a morte do pai? Parece algo aleatório inventado pra tentar dar drama pra história.

- Herói Envergonhado (de novo meu maior problema com o filme). História finge promover valores como auto-estima, coragem, habilidade, quando na verdade é anti auto-estima. O filme não está tentando tornar Soluço (ou Banguela) de fato figuras admiráveis. O dom mais impressionante que Soluço mostra é saber ser carinhoso com Banguela e tirá-lo do domínio do dragão (algo muito vago e que parece simples). Banguela destruir o dragão no final também não é convincente (com poderes mágicos que surgem do nada, qualquer um faria isso).

CONCLUSÃO: Tecnicamente bem feito, mas mediano como cinema, roteiro, personagens, etc. Pessoalmente, não gosto por causa dos conflitos de valores.

FILMES PARECIDOS: Rio 2, Os Croods, A Era do Gelo 4, Como Treinar o Seu Dragão, etc.

NOTA: 4.0

2 comentários:

Rodrigo Matos disse...

Caro amigo, me deparei com seu blog, e muito entusiasmado li muitas de suas críticas, e percebi que elas SOMENTE denigrem a imagem dos filmes que você assistiu. Venho então lhe perguntar uma coisa, do que vc gosta? Porque ao que me parece, lendo suas críticas, cinema não é uma coisa que muito te agrada, pois todoas as suas críticas que li,não citam nenhum ponto positivo.

Caio Amaral disse...

Oi Rodrigo, recentemente falei bem (ou mais bem do que mal) de No Limite do Amanhã, Mulheres ao Ataque, Hoje eu Quero Voltar Sozinho, Tudo por Justiça, Noé, O Grande Herói, Ninfomaníaca 1 e 2, Walt nos Bastidores de Mary Poppins, entre outros, então não é verdade que minhas críticas somente denigrem a imagem dos filmes que eu assisto.

Mas é verdade que na maioria das vezes eu tenho mais coisas negativas a dizer a respeito dos filmes do que coisas positivas. Estou apenas sendo honesto. Não seria certo eu mentir só pra agradar as pessoas, né?

Por que continuo a ver filmes se não gosto da maioria? Porque a minoria que eu gosto faz valer a pena ver os outros. E mesmo os filmes que eu acho fracos eu gosto de ver. Ir ao cinema já é algo que me dá prazer. Mesmo um filme ruim pra mim é interessante, até porque podemos aprender com os erros dos outros. É um pouco como conhecer pessoas: nem todo mundo que você conhece é sua alma gêmea ou um amigo pra vida toda.. mas a possibilidade de encontrar alguém assim faz a gente continuar buscando.. e mesmo em níveis mais baixos de afinidade é possível ter prazer.. você não vai se excluir da sociedade e viver no isolamento só porque não gosta da maioria das pessoas que conhece. Com filmes pra mim é igual. Abs.