sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Garota Exemplar

- O tom cínico do casal me desagrada (o que acontece no primeiro encontro já não parece atração, amor, eles apenas se identificam como dois cínicos no meio de uma festa). Duvido que pessoas assim teriam um relacionamento sem conflitos durante 2 anos. Todo o tom do filme parece dizer: o amor não existe, o casamento é uma farsa, as pessoas são medíocres, etc.

- Mistério do desaparecimento torna o filme interessante desde o começo. Lembra um pouco Os Suspeitos. Lance dele seguir as pistas da esposa é divertido.

- Como todo filme do Fincher, a produção é ótima, a direção, o elenco, etc. Nível estético acima da média.

- Relacionamento dos dois é detestável. Ambos estão errados, e o filme não parece condenar as atitudes deles. Ele parece estar dizendo num tom melancólico: "veja como os relacionamentos são na realidade". O fato da menina ser a Amazing Amy apenas piora tudo: ou seja, até a "garota exemplar" no fundo é infeliz. O filme está criticando a imagem do ideal, dizendo que ninguém e nada é "amazing" na realidade.

- SPOILER: Surpresa da amante do Ben Affleck / revelação da gravidez: filme é cheio de pequenas surpresas, o que o mantém interessante.

- SPOILER: Legal a reviravolta principal (Amy está viva, etc!). Achei que essa revelação viria só no final do filme e não no meio. Deixa a gente curioso pra saber o que ainda pode acontecer.

- Interessante a crítica à mídia, embora também tenha um tom "malevolente" que me desagrada: as pessoas são mal intencionadas, a TV controla a sua realidade, etc.

- SPOILER: Inconsistência psicológica: eles não pareciam nem um pouco desequilibrados até o meio do filme. Por anos eles foram um casal típico, e de repente a mulher se torna uma assassina psicopata só por causa de uma traição?!?! Meio forçada essa transformação.

- SPOILER: A ideia parece ser que ela é super inteligente e é capaz de criar o crime perfeito. Mas na realidade é tudo muito descuidado. Ela está na mídia do país inteiro e ela fica andando por aí sem medo de ser reconhecida?? Se ela fosse "inteligente", ela teria se matado logo depois de ter armado a cena do crime na casa dela - antes da história explodir. É tudo meio irreal (até parece que ela iria se matar só pra incriminar o marido, sem ter a satisfação de saber que ele foi condenado. E se o plano desse errado? E se a investigadora descobrisse que foi tudo armação dela? Ela estaria morta e tudo teria sido em vão? Não me parece um plano muito plausível).

- Legal a cena do Ben Affleck sendo treinado pra parecer inocente na TV.

- SPOILER: Divertido Amy fingindo pras câmeras que o ex (Neil Patrick Harris) a estuprou. Rosamund faz bem esse papel de louca. Mas não acho ela uma louca tão gostável como a de Atração Fatal (em Atração Fatal, a ideia era apenas chocar a plateia com uma mulher totalmente desequilibrada - aqui, junto com isso, há a intenção criticar a natureza do amor, de mostrar o lado negro da "Amazing Amy", o que dá um tempero amargo pra história).

- SPOILER: Final vai ficando falso demais e me distancia como espectador. Até agora pouco era um suspense cínico mas ainda assim envolvente, cheio de reviravoltas interessantes, bem feito. Depois que ela mata o ex e volta pra casa cheia de sangue, não dá mais pra acreditar em nada. Impossível dar certo esse plano dela.

- Talvez o problema do filme seja o Fincher, que tentou fazer um filme sofisticado a partir de uma história meio absurda. Acho que funcionaria melhor nas mãos de um Brian De Palma - um diretor menos "comportado" que não levasse tudo tão a sério.

CONCLUSÃO: Roteiro se perde no final, mas o resto é envolvente, tecnicamente bem feito, e deve agradar principalmente quem concordar com essa visão cínica do amor e da natureza humana.

(Gone Girl / EUA / 2014 / David Fincher)

FILMES PARECIDOS: Os Suspeitos / Millennium: Os Homens que Não Amavam as Mulheres / Zodíaco

NOTA: 7.0

7 comentários:

Tiffany Noélli disse...

Nossa, eu estou louca pra ver esse filme!!! ;)

Caio Amaral disse...

Recomendo...! Filmes do David Fincher são sempre acima da média né?

Thiago P. disse...

**********[SPOILER ALERT]**********
Acho que você cometeu um pequeno equívoco, mas não sei se muda sua percepção geral do filme.

A impressão que dá de que era um casal feliz vem justamente do fato da história ser narrada do ponto de vista dela através do diário essa versão dos fatos tornaria o crime muito mais hediondo, ou seja, ela queria que todos acreditassem que eram um casal perfeito e ele matou ela por motivos passionais (a amante, o seguro de vida).

E existiam outros indícios de que ela era uma psicopata (a simulação de estupro para incriminar o ex dela) e a aparente tentativa de suicídio do outro (isso não fica bem claro).

No geral eu gostei muito e a direção (tudo é em um nível altíssimo), trilha sonora e atuações principalmente. No final vira quase um drama, talvez por isso os elementos precisem de mais verossimilhança e não parece fazer sentido.

Caio Amaral disse...

Oi Thiago! Pelo que lembro, ela diz que o diário foi todo baseado na realidade, e que ela foi apenas distorcendo os fatos a partir de certo ponto pra parecer que o Ben Affleck seria capaz de matá-la. Ela não inventou tudo. O filme não é claro o bastante nesse ponto eu acho, mas acredito que a parte em que eles se conheceram na festa e os primeiros anos juntos (antes deles perderem os empregos e entrarem em crise) foi real. E é isso que eu acho pouco convincente psicologicamente. Que o Ben Affleck seria tão alienado que não iria sacar logo nos primeiros meses que a mulher era uma maluca pior que a Glen Close..

A simulação de estupro ela faz mais pro final do filme, certo? Quando já sabemos que ela é louca.. na primeira parte não há indícios pelo que lembro.. Abs!

TiffanyNoelli9 disse...

Oi, Caio! Hoje q vi o filme... spoiler: Ela sempre foi psicopata. Deixa claro quando ela fala q inventou um personagem pra agradar ele. Tipo a mulher certinha e tal, nunca existiu. Houve aquele lance com o ex dela q quase foi preso. Amei o filme todo, só não gostei do final.

Caio Amaral disse...

Oi Tiffany.. tb entendi que ela sempre foi louca. O que não fez sentido pra mim foi o Ben Affleck só sacar isso anos depois..!

Maria disse...

Para mim faz sentido o Nick não ter dado conta até porque ela era uma psicopata, manipuladora. Ela fazia e dizia aquilo que convinha, no momento certo. Só depois com o desemprego dos dois e com a mania de controlar dela é que o Nick começou a ficar farto dela. E a a partir daí as coisas foram piorando.

E ela não é a Amazing Amy, nem o filme fez dela a imagem ideal. Aliás, quando a Amy e o Nick vão ao lançamento do livro, à medida que vão passando pelos cartazes, ela vai falando de coisas nas quais teve insucesso mas a Amanzing Amy (a personagem do livro) foi bem sucedida.