sexta-feira, 29 de maio de 2015

Terremoto: A Falha de San Andreas


ANOTAÇÕES:

- Como assim o helicóptero vai "inclinar" pra descer no meio da fenda? O que que é isso gente? Nunca vi algo tão absurdo!! O carro estar colado na parede também já é puro nonsense!

- O filme tem exatamente o tom dos filmes catástrofe dos anos 90 (que eu amo). Só que é muito mais exagerado, parecendo até o Sharknado, mas ainda tentando ser sério.

- Chocado com a cena na Hoover Dam! Nunca vi filme de terremoto dar susto! O som do filme é muito eficiente... Mas não é muito cedo pra algo dessa magnitude estar acontecendo?

- Muito engraçado o clichê da menininha chorando perdida dos pais na represa (parece algo tirado do Titanic).

- História do Dwayne Johnson com a ex-mulher (o novo namorado dela, os papéis do divórcio pra assinar) parece cópia de Twister. Além da trama dos cientistas tentando descobrir métodos de prever terremotos, etc. Todo o filme parece uma coleção de clichês, mas não dos clichês atuais, e sim dos clichês de 20 anos atrás, que pelo menos eram mais divertidos.

- Um absurdo a mulher no topo do prédio sendo resgatada pelo helicóptero - e depois o helicóptero desviando dos prédios caindo, etc. Se isso já está acontecendo em 40 minutos de filme, o que mais pode acontecer? O terremoto já atingiu o estágio máximo de destruição!

- Apesar de muita coisa ser forçada, a ação é visualmente compreensível e tem uma lógica própria, então consegue deixar o espectador tenso.

- O filme só tem clichês! Tudo... As frases, as caracterizações, etc. Ficamos na dúvida se o diretor está homenageando os filmes dos anos 90, ou se de fato é alguém sem imaginação, com conceitos extremamente limitados de narrativa. O filme precisava ter pelo menos um toque ou outro de inteligência, de sofisticação.

- Sinto falta de ver a catástrofe pelo ponto de vista da mídia, da população, do resto do mundo, do presidente americano, etc. O filme foca mais nos personagens centrais e não passa uma noção da grandiosidade da tragédia.

- A personagem da mãe (Carla Gugino) é muito ruim. Ela não tem jeito de mãe... E ao longo do filme, em vez de estar preocupada com a filha, ela parece estar curtindo a aventura, jogando charme pro ex-marido, etc.

- Piada da "segunda base" no campo de baseball é muito ridícula! Rs.

- SPOILER: Tensa a cena da lancha subindo a tsunami! Pulei quando apareceu o navio! Ótimo "twist" pra uma cena já vista antes em outros filmes (dentro dos clichês, o filme se esforça pra entreter o público, e acaba surpreendendo).

- Muito falso a onda não derrubar o prédio onde está a filha com os 2 garotos. E toda a história dos pais indo resgatar a menina no meio da tsunami é ridícula. Seria impossível encontrá-la. Sem falar que a menina é incrivelmente forte e preparada pra sobreviver a desastres. Os pais estão se comportando como se ela fosse uma menininha de 10 anos. Toda a irrealidade do filme vai cansando um pouco mais pro final (até por ele ter atingido o clímax cedo demais).

CONCLUSÃO: Um dos filmes-catástrofe mais divertidos dos últimos tempos, embora os clichês e a falsidade da ação deem um ar "trash" pra produção.

(San Andreas / EUA / 2015 / Brad Peyton)

FILMES PARECIDOS: Sharknado / 2012 / Poseidon / O Núcleo - Missão ao Centro da Terra / Twister

NOTA: 7.0

8 comentários:

Anônimo disse...

Se o diretor é original... já deu uma olhada na filmografia do infeliz?

Caio Amaral disse...

Dos 2 longas que ele fez antes só vi o Viagem 2, que achei bem intencionado mas muuuito bobinho..

Anônimo disse...

Haha, no rádio da minha cidade estavam anunciando as estreias. Daí o locutor falou: "Terremoto: A Falha de San Andreas com The Rock Johnson". - Nisso o parceiro de locução disse: "mas como o The Rock vai enfrentar um terremoto"?. - O locutor principal respondeu: "ele tem peito".

Na hora eu não entendi, daí chego aqui e leio um comentário falando sobre o diretor e sua filmografia.

--Eu to rindo igual uma jumenta retardada faz uns vinte e dois minutos--

Caio Amaral disse...

Não entendi nada

Anônimo disse...

O sobrenome do diretor é Peyton, parecido com peito. Eu não sabia disso na hora que tava ouvindo o rádio e pensei que era sobre a musculatura do The Rock, mas daí li o comentário do anônimo acima e me liguei. É um trocadilho com "peito" de pessoa que tem coragem, ímpeto.

Caio Amaral disse...

Rsssss... mas será que os caras da rádio quiseram fazer esse trocadilho?? Pq esse Brad Peyton é um desconhecido total.. não é um nome famoso tipo "Tarantino" que as pessoas iriam sacar.. Hehe. :-S

sofia martínez disse...

Cheio de ação é muito divertido. Veja Dwayne Johnson em seu esplendor heróico. Escapando enorme desastre manobras impossíveis, a condução de veículos como um especialista em ar, mar ou terra, e misturar-se, também mostrar o seu lado romântico. Terremoto: A Falha de San Andreas é uma (embora previsível) implantação filme divertido atraente com grandes efeitos especiais e emoção. Apropriado para um dia de lazer e deseja compartilhar.

Caio Amaral disse...

Apesar das diversas reclamações nos meus comentários, curti o filme também, Sofia...!