terça-feira, 8 de setembro de 2015

Casa Grande

Tinha perdido esse filme nos cinemas e só quis ver agora porque ele tem entrado em algumas listas de melhores filmes nacionais do ano. A sensação foi a de ver Que Horas Ela Volta? mais uma vez: um filme Naturalista cuja principal intenção é a de expressar desprezo pela classe alta (Alerta Vermelho).

Não há grandes méritos cinematográficos, uma narrativa forte, psicologia, personagens carismáticos, valor de produção, uma direção talentosa: é basicamente um filme político, que só será satisfatório pra quem estiver de acordo com as opiniões do filme (e pra quem achar que a função principal do cinema é a de expressar opiniões).


Eu não consideraria o filme preconceituoso e mal intencionado se fosse um retrato de uma família específica, com problemas particulares, baseados em falhas pessoais - uma crítica ao comportamento irresponsável do pai em relação ao dinheiro, por exemplo. Da mesma forma que não considero Cidadão Kane um ataque a todos os magnatas - o foco do filme é a figura pessoal de Kane. Mas em Casa Grande, o retrato não é de pessoas específicas com problemas individuais. O filme não vai a fundo nas caracterizações, não nos diz muito a respeito dos personagens, da origem psicológica de seus problemas. O personagem central aqui é justamente a casa, que simboliza toda uma classe social. É um ataque generalizado, que sugere que os defeitos dessas pessoas não é de origem pessoal - resultado de escolhas que poderiam ter sido diferentes - elas são apenas frutos do meio (a visão determinista do Naturalismo). O vilão aqui não é nenhum dos protagonistas, mas a "casa grande". Seria o mesmo que fazer um filme na favela chamado "Barraco Sujo", e a partir daí retratar negros pobres se comportando de maneira detestável, roubando, etc, tudo de maneira distante, fazendo um retrato frio e odioso (mas tentando ser realista) de um grupo social.

É realmente triste a situação do cinema nacional, mas compreensível, quando você considera que é o governo que escolhe a maioria dos filmes que são produzidos. Enquanto não houver por aqui uma indústria independente forte, filmes financiados de maneira privada, continuaremos vendo esse tipo de produção sendo privilegiada.

(Casa Grande / Brasil / 2014 / Fellipe Barbosa)

FILMES PARECIDOS: Que Horas Ela Volta? / O Som ao Redor

NOTA: 2.5

2 comentários:

Anônimo disse...

O que mais me chateou foi cancelarem a cinebiografia do calypso financiada pelo ministério da cultura. Eu não gosto nenhum pouco da banda, mas eu gostaria de ver um filme simplesmente por saber que vai ser ruim, artificial e voltado para um público específico. Eu imagino que seria algo parecido com a cinderela baiana da carla perez que por sinal eu sempre dou boas risadas assistindo.

Caio Amaral disse...

Nem sabia dessa... corria o risco de dar lucro né... e pra ser aprovado tem que ser fracasso de bilheteria garantido acho, rs.