quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

The Room

Um dos leitores do blog me pediu pra assistir e comentar esse filme, então aí vai! (contém SPOILERS).

--------------------------------------------------------------

Filme de 2003 (escrito, dirigido, produzido e estrelado por Tommy Wiseau) que ganhou status de cult por ser considerado um dos piores de todos os tempos. O drama de baixo orçamento se passa quase todo em uma casa e conta a história Johnny (Tommy Wiseau), que é traído por sua noiva e seu melhor amigo - Lisa e Mark - que começam a ter um caso pelas costas dele. É um dos filmes mais geniais (não-intencionalmente) que eu vi nos últimos tempos.

A produção realmente é uma das coisas mais estranhas já feitas num nível profissional (muitos pornôs são melhores em termos de interpretação, diálogos, direção de arte, fotografia).

Se o filme fosse pretensioso e tivesse tentando se passar por uma superprodução, ou se Wiseau tivesse tentando usar The Room pra se lançar como astro de Hollywood, realmente a ruindade imbatível da produção tornaria o filme patético e digno de riso. Mas a natureza do filme acaba tornando a inadequação de Wiseau (como cineasta, roteirista e ator) algo fascinante e que comunica o tema de rejeição da história de uma maneira extremamente dramática.

Sobre o que é a história no fundo? É sobre um cara que, apesar de ter um bom coração, ser bem sucedido no trabalho e querido por alguns amigos, acaba sendo rejeitado pelas pessoas que mais ama por causa de sua aparência estranha e inadequação social. Lisa e Mark são atraentes, simpáticos, e representam o mundo das pessoas ajustadas e normais que ele tanto admira e no qual tenta se inserir. E a história basicamente é sobre Johnny sendo expulso desse mundo - sendo traído por sua noiva e melhor amigo, e tendo que encarar a sua realidade (o que o leva ao suicídio).

Obviamente é um filme autobiográfico e Johnny é o próprio Wiseau, que certamente sofreu muito na vida por ser como ele é. O filme acaba tendo um tom de sessão de terapia - um artista se expondo da maneira mais íntima e vulnerável possível (achei até apropriada a cena do traseiro de Wiseau!).

Pela maneira dele atuar, de se vestir, e só de ver o filme surreal que ele fez, fica óbvio que Wiseau na vida real também é uma pessoa sem muita sensibilidade intrapessoal/interpessoal - alguém que não se enxerga objetivamente, que não tem noção de suas qualidades, talentos, limitações e da impressão que causa nos outros - algo que certamente deve ter gerado bastante sofrimento em sua vida e uma série de rejeições dolorosas.

O triste de tudo isso é que Wiseau provavelmente fez o filme pensando que estava dando a volta por cima, se vingando dessas pessoas que o magoaram na vida real, ao realizar uma grande obra-prima onde ele é o mocinho que expõe a crueldade e insensibilidade dos vilões. O resultado foi que, em vez dessa volta por cima, o filme só serviu pra confirmar de uma vez por todas a bizarrice de Wiseau, o tornando uma pessoa ridícula não apenas para os seus conhecidos, mas para o mundo inteiro. Ao lançar The Room, Wiseau iria viver em sua carreira artística a mesma experiência de rejeição que viveu em sua vida pessoal - ele é rejeitado pelo público assim como Johnny foi rejeitado por Lisa e Mark, tendo que lidar agora com a realidade de que ele é um "weirdo". Me surpreende que Wiseau, após o lançamento de The Room, não tenha tido o mesmo destino de Johnny no filme.

Me identifiquei muito com o filme pois eu desde criança vivi esse drama de Wiseau - sempre me sentindo um alien, alguém que não se enquadra em nenhum grupo, mas tentando conviver harmoniosamente num mundo de pessoas normais. Na verdade meu conflito era diferente, pois apesar de eu me sentir por dentro um "Johnny", externamente eu sempre pude me passar por um "Mark". Então eu tenho dentro de mim 2 identidades incompatíveis que vivem brigando entre si - uma tentando dominar a outra sem sucesso. E socialmente não funciona: quando eu assumo o Johnny, eu sou abandonado pelos "Marks" do mundo, que sentem que eu não sou como eles, mas também sou rejeitado pelos "Johnnys" por não ser um Johnny autêntico o bastante. E quando eu assumo o Mark, eu sou abandonado pelos "Johnnys", que sentem que eu não sou como eles, mas também sou rejeitado pelos "Marks" por não ser um Mark autêntico o bastante. E tudo isso parece gerar certa suspeita e intriga ao meu respeito. Já cheguei a uma solução pro problema? Não. Enquanto isso, vou produzindo meus "The Rooms" pessoais e tentando não me chocar demais com a reação dos outros, rs.

The Room / EUA / 2003 / Tommy Wiseau

FILMES PARECIDOS: Mamãezinha Querida / The Apple / Orca: A Baleia Assassina

NOTA: 7.5

10 comentários:

Anônimo disse...

Oh, hai Caio! Como vai sua vida sexual? Brincadeiras a parte, não pensei que atenderia meu pedido. Mas isso foi o de menos, a sua análise me surpreendeu. Assisti o filme com olhar cínico, pra dar risada mesmo. Mas gostei que você fez algo diferente e avaliou o filme de forma "profissional".

Mas tem algo que não concordo. Quando você diz que o Johnny é rejeitado pela sua aparência e jeito de ser, eu acho que não é isso. Tendo em vista que o Tommy é o idealizador, realizador e a estrela do filme, se a motivação por trás dos atitudes dos personagens fosse essa, então Tommy, que os escreveu, estaria afirmando abertamente que ele reconhece que é "diferente". Tendo tomado este raciocínio, ele teria aceitado a pessoa que é e não teria a crise de identidade, no filme.

Similar ao nerd que sofre bullying sem saber porque, e quando cresce, entende as atitudes dos outro para com o grupo em que pertence e sua dificuldade de se encaixar entre os populares. Assim que fica adulto, aceita quem é e vive bem entre pessoas que compartilham de seus interesses.

O Tommy recentemente reconheceu a má fama do seu filme e abraçou esta oportunidade. Aceitou quem os outros acham que ele é. E agora começou a produzir filmes abertamente trash. Tem até canal no youtube se expondo ao ridículo.

https://www.youtube.com/show/thetommywishow/videos

Mas com relação ao paralelo que você traça consigo, imagino eu que você esteja passando por um momento mais delicado emocionalmente. Tendo em vista que o clipe que você fez trata sobre crise de identidade e você trouxe isso a tona comparando-se com alguém rejeitado.

Espero que dê tudo certo na sua vida. E você consiga superar esta crise. Abraços.

Caio Amaral disse...

Ah não... eu não acho que o Tommy entende (ou pelo menos entendia quando fez o filme) que ele é inadequado, e por isso era rejeitado pelas pessoas... O que ele demonstra no filme é que ele não tem a menor ideia de por que as pessoas o rejeitam... Ele não sabe o quão inadequado ele parece pros outros... O que é muito comum em pessoas que não tem essas habilidades sociais... Pra ele é como se fosse algo inexplicável... a noiva simplesmente não tem consideração... A mãe da Lisa pergunta por que ela não quer mais se casar com o Johnny, num diálogo logo no começo do filme... e a resposta da Lisa é algo do tipo "Não sei.. porque ele é CHATO". Ela literalmente usa o termo "boring". Obviamente essa não é a explicação.. Se o Tommy soubesse qual a explicação, ele teria feito ela dizer outra coisa... Ou melhor... Se ele soubesse qual a explicação, provavelmente ele nem teria feito esse filme! Rs. Mas a gente, o público, vendo o filme e vendo como o Johnny/Tommy é, e como ele destoa radicalmente do universo em que quer se inserir, podemos entender perfeitamente por que ele se sente constantemente rejeitado e traído pelas pessoas ao redor dele.. e resolveu fazer um filme sobre isso.. Li que em muitos momentos o pessoal da equipe começava a rir durante as gravações do filme... e ele ficava furioso.. pq não tinha ideia do que havia de engraçado..

Enfim, eu não estou em nenhuma crise especial que eu saiba, hehe... esse tema do conflito de identidade é algo que eu discuto desde adolescente em terapia, etc.. nenhuma novidade.. acho que foi coincidência eu ter visto um filme que expressa esse conflito de maneira tão chocante.. justo agora q eu fiz um vídeo também sobre questões de imagem, etc... E o q minha vida sexual tem com isso? kkk. Abs.

Marcus disse...

Esse filme The Apple que você relacionou é aquele iraniano? se for, qual o problema dele?

Caio Amaral disse...

Não, The Apple é o musical de 1980. Nunca vi nenhum filme de fato parecido com The Room rs. Então coloquei alguns daquela minha lista dos "melhores piores filmes".. Tipo.. Que de tão ruins são bons..

Anônimo disse...

Acabei de ver um caso parecido com o que você descreveu sobre Tommy Wiseau: o caso de Natalia Andrade, cantora lírica portuguesa, e achei um pouco triste.

Ao ler a biografia dela, vi que sua fama se devia ao fato de que ela não desenvolveu seu talento, cantava mal e todos zombavam. Mas em sua vida pessoal ela era iludida, pensava estar arrasando. As homenagens a ela eram na verdade tiração de sarro. Mas ela era feliz.

Morreu com uma legião de fãs, mas não fãs do seu trabalho ou talento, e sim como no caso de The Room, fãs que fazem chacota.

Existem toques de celular, camisetas, CDs, documentários. Tudo expondo ao ridículo aquela senhora ingênua.

https://www.youtube.com/watch?v=HohwjP_XCnk

https://www.youtube.com/watch?v=vtgyEnFB9e8

Caio Amaral disse...

Gente não conhecia essa Natalia, kkkkk... Q cômico, tadinha... Ela cai numa categoria meio Edinéia Macedo acho (que inclusive cantou com a Ivete Sangalo, não sei se soube do caso, rs) https://www.youtube.com/watch?v=K-j760h3PSk

Quando é gente mais 'simples' pagando esses micos, a gente acaba pondo a culpa na falta de cultura, na ingenuidade da pessoa.. e não num problema psicológico, de não saber se enxergar, etc.. já o Tommy Wiseau, como pelo visto é um cara bem sucedido, viajado, etc, já não pode ser explicado dessa forma :-S

Zonijeda disse...

Engraçado é que esta Edinéia Macedo pode ser comparada com a Verônica Voz, uma senhora aspirante a cantora, tem 15 CDs gravados e era uma celebridade na cidadezinha onde morava. Mas assim que os blogs de humor descobriram ela no longínquo ano de 2012, a transformaram em meme.

Também apareceu no pânico, dando entrevista toda sorridente e fez uma paródia de seu maior hit:

https://www.youtube.com/watch?v=CjEFtOj7L4g
https://www.youtube.com/watch?v=3pLqBYWLUnU

https://www.youtube.com/watch?v=wxwtCgBp0lI

Canal oficial:

https://www.youtube.com/user/veronicavozoficial/videos

Mas ela é uma senhorinha esforçada e abraçou bem a oportunidade que o sucesso temporário lhe deu. E assim como todos os famosos de internet, ela foi esquecida rapidamente.

Caio Amaral disse...

Hahaha, verdade... já conhecia o "hit" da Verônica.. Nada nada nada nada... acho fantástico... Mas realmente, difícil esse tipo de fenômeno da internet durar muito tempo..!

Anônimo disse...

Fato curioso: Johnny era para se tornar um vampiro no final do filme e sair voando por São Francisco, mas eles não o fizeram porque o orçamento não permitiria.

Eu não estou brincando, supostamente isto iria acontecer.

Caio Amaral disse...

Vixe.. E o resto do filme é todo realista né.. teria sido inovador esteticamente, rsss.