sexta-feira, 1 de abril de 2016

Espectador com a Mentalidade Anticapitalista

11 comentários:

Anônimo disse...

esse vídeo não tem nada a ver com a lava jato né? Porque eu fiquei feliz em ver o Odebrecht sendo levado algemado, entre outros ricaços envolvidos no esquema de corrupção.

Inclusive fiquei triste com aquele que é considerado o herói da lava jato, o japonês da federal, já ter se envolvido com esquemas ilícitos.

A propósito, vendeu a sua TV?

Caio Amaral disse...

Hehe... Não, estou falando só de arte/entretenimento (embora eu pessoalmente não fique feliz nem na vida real, como no caso que vc citou).
A TV queimou parece... Mandei hoje pra assistência, kkkk... Fiquei imaginando se alguém iria reparar :-P

Anônimo disse...

A literatura policial que é mais vista como de esquerda é a americana dos anos 30 em diante, que os franceses chamaram 'noir' porque seria um retrato do lado 'negro' da sociedade. Alguns autores foram mesmo de esquerda, como Dashiell Hammett, influenciado pela mulher, Lilian Hellmann. O atual James Ellroy, de 'Dália Negra' e 'Los Angeles, Cidade Proibida', também é de esquerda. Mas esses são casos de autores que adotaram publicamente posições políticas.
Já os autores britânicos clássicos são mais vistos como conservadores. Agatha Christie é vista por muita gente como apolítica, nos livros delas tanto os criminosos como as vítimas são geralmente da alta sociedade e os ambientes quase sempre refinados, há quem ache que isso ocorrria porque ela tinha pouca experiência pessoal da pobreza.
Pedro.

Caio Amaral disse...

Legal Pedro... acho legal apontar que esses são os autores anticapitalistas que ainda estão "infiltrados" e querem fazer parte da cultura mainstream (até pra divulgarem melhor suas ideias - o que os torna mais perigosos)... Inserem suas mensagens subversivas dentro de um contexto comercial... assim como venho falando dos filmes recentes da Disney, etc. O que é diferente dos "anticapitalistas assumidos", que produzem e consomem filmes naturalistas, anti-comerciais, tipo cinema europeu, etc.

Caio Amaral disse...

Agatha Christie também me parece apolítica... pura diversão...

Anônimo disse...

Dia desses entrei em um blog de humor daqueles que tem memes, e o dono do blog reclamando que na página do face e twitter os antigos leitores só sabem falar em política ou comparar as piadas com a situação do país. Então em tom de piada ele fez um apelo: que o brasil continue analfabeto político para que ele não perca o emprego.

Também comentou que cada vez mais a população jovem vem desenvolvendo um interesse sobre política sem precedentes na história do brasil, onde somente a elite tinha interesse em conhecer os partidos e candidatos ou uma educação básica sobre economia e administração.

Talvez o interesse repentino em séries e filmes deste gênero que você falou, como House of Cards, seja porque o público esteja buscando um conteúdo mais próximo dos seus novos interesses. E nos tempos em que vivemos de instabilidade política mundial, isso tende a representar os líderes como corruptos e mentirosos. Se este for o motivo, até entendo o porque as pessoas gostam desse tipo de coisa, só não consigo entender como eles gostam de personagens corruptos na ficção mas na vida real os desprezam.

Claro que é somente uma suposição.

Caio Amaral disse...

Talvez o interesse por política explique em partes a popularidade de House of Cards.. que fala especificamente sobre isso.. mas não a popularidade de outras séries e filmes como Downtown Abbey, Mad Men, O Lobo de Wall Street e tantos outros... que também expõem o lado moralmente duvidoso de pessoas poderosas...

Anônimo disse...

Caio, conforme o seu pensamento filosófico que valoriza o empresário bem sucedido e grandes líderes, qual é o seu posicionamento quanto aos casos de corrupção e lavagem de dinheiro por parte destas pessoas, como no caso citado acima da "operação lava jato" e os "papéis do panamá"? Eu li acima que você não ficou feliz com o caso do Odebrecht sendo levado algemado, será apenas a cena triste da pessoa sendo presa ou vc é contra a "lava jato"?

Apenas esclarecendo, não tenho ideais de esquerda e valorizo o dinheiro e suas conquistas, valorizo também qualidades de liderança e de administração. Mas ultimamente está cada vez mais difícil em não observar os empresários como os vilões que você falou no vídeo, pois não param de aparecer mais e mais denúncias contra eles, e muitas têm-se provado verdades.

Temo que jovens empresários, exemplo os fundadores dos maiores sites e redes sociais, estejam envolvidos de alguma forma. Pois se a maioria destas acusações contra as empresas bem mais antigas se provar verdade, tais jovens empreendedores serão a última esperança de uma sociedade capitalista livre de corrupção.

Com relação à políticos eu já perdi a esperança, pois países que apresentavam um percentual baixíssimo de corrupção, e encabeçando listas de países com menor índice de má administração (países nórdicos), seus líderes políticos já estão envolvidos em muitos esquemas e alguns já até caíram.

Se na época de Ayn Rand existissem escândalos tão grandes ela teria formulado sua filosofia de outra maneira ou ela chegou a prever o que aconteceria dizendo aquela famosa citação sobre "pedir permissão para quem não produz"?

Caio Amaral disse...

Oi.. Eu sou a favor de prender os corruptos, ladrões e tudo mais. Só quis dizer que a prisão de alguém (de um Odebrecht ou qualquer outra pessoa) não é algo que me deixa "feliz". É apenas a eliminação de algo indesejável... Mas isso ainda não produz algo positivo... Portanto não é algo que eu gostaria de ficar contemplando em filmes, séries, etc... O que me deixa feliz são conquistas, beleza, etc. Um bandido ser preso é algo justo, necessário, mas não consigo tirar grandes satisfações disso, emocionalmente falando.

Esses empresários vilões que você está falando acho que são principalmente os que têm envolvimento com o governo... E numa sociedade onde o estado dificulta tanto a iniciativa privada, você acaba criando incentivos para a corrupção... "Já que eles estão me roubando, vou roubar também se não eu fico pra trás". Na época da Ayn Rand existiam sim grandes escândalos, e não acho que ela teria mudado em nada sua filosofia se estivesse viva hoje, pelo menos em relação a esse tópico.. Veja ela mesmo falando sobre essa questão dos "robber barons" nesse vídeo que eu postei no meu canal. A partir do minuto 6:10.

https://www.youtube.com/watch?v=kKBxuOYhHSo

Abs.

Anônimo disse...

Sobre o James Ellroy, queria esclarecer que há quem o ache conservador/direitista, aparentemente porque usa linguagem pouco correta poliicamente. Ele tinha me parecido de esquerda porque no único livro que li dele, "Tablóide americano", os únicos personagens com algum pingo de dignidade eram os comunistas.
Pedro.

Caio Amaral disse...

Ué Pedro, mas os conservadores costumam usar linguagem politicamente incorreta? Não são os de esquerda que costumam ser os mais subversivos? Enfim, eu não conheço os livros dele pra palpitar.. hehe.. mas valeu pela observação.