quarta-feira, 29 de junho de 2016

O Caseiro

NOTAS DA SESSÃO:

- Produção simples, sem nada de virtuoso ou imaginativo em termos de direção, fotografia, roteiro etc, mas é respeitável. O fato de se passar no interior ajuda visualmente. As cidades no Brasil são tão feias que fica quase impossível dar uma cara de filme americano pra um filme se passe na cidade.

- Não gosto quando filmes de terror / suspense têm esse tom denso constante - as pessoas falando de maneira misteriosa, com expressões sérias, como se soubessem que estão num filme de gênero. Torna tudo um pouco monótono e distante.

- Boa essa atriz que faz a tia (Denise Weinberg). As crianças não são totalmente convincentes, mas não atrapalham também. O personagem do Bruno Garcia é meio chato, distante, não gera muita empatia, até porque o filme exige que ele tenha essa postura séria e formal o tempo todo. Parece um investigador genérico, copiado de dezenas de outros filmes, sem uma identidade própria.

- Embora não muita coisa aconteça na história até o terceiro ato, algumas cenas conseguem criar tensão, por exemplo quando o Davi vai até a casa do caseiro à noite e encontra a garotinha brincando. Ainda assim, o filme não chega a ser um entretenimento de grande apelo popular, como Invocação do Mal, etc.

- Algumas coisas começam a ficar um pouco forçadas mais pra frente. Por exemplo, quando a filha e o amigo vão seguindo o pai pelo do GPS, daí ela resolve ir embora e deixar o garoto sozinho na casa (que por algum motivo está aberta).

- SPOILER: O último ato é totalmente irreal e bagunçado. O investigador lá sentado no lago espantado com o fantasma do caseiro que viu, enquanto isso o pai na casa do caseiro achando a irmã morta, e em outro lugar a filha dirigindo e batendo o carro... As pessoas não estão se comportando de uma maneira plausível. A família não ficaria toda espalhada por aí com tudo isso acontecendo (a tia desaparecida, um fantasma à solta, etc). Alguns personagens parecem estar sobrando no filme também, como algumas das filhas do Rubens. Fica estranho elas não participarem mais da história, não interagirem com o Davi, etc.

- SPOILER: A história do Davi ser o garoto do livro ficou meio previsível desde o começo.

- SPOILER: Final confuso, conturbado e com alguns clichês. A tragédia da família do caseiro não foi bem contada, então não entendemos direito o que está acontecendo, qual a motivação do caseiro, etc. Quem é essa menina que ele tira da casa pegando fogo? A filha dele? Quem matou a mãe? E a menina parece muito com uma das filhas do Rubens... É ela? As coisas que estão acontecendo existem fisicamente ou são apenas visões? Todos estão vendo isso ou só o Davi? O cineasta parece muito ansioso pra surpreender no final, encher a história de revelações, reviravoltas, apresentar suas sacadas, só que com isso atropelou o espectador e a lógica da narrativa.

------------------

CONCLUSÃO: Tentativa honesta e razoavelmente bem sucedida de se fazer um filme brasileiro de gênero, mas o roteiro vai se tornando cada vez mais improvável e confuso conforme se aproxima do fim.

Brasil / 2016 / Julio Santi

FILMES PARECIDOS: Mama / O Ritual / Atividade Paranormal / O Orfanato / A Chave Mestra

NOTA: 5.5

23 comentários:

Kawane Martynowicz disse...

Também achei muito confuso o final. É ruim você não piscar os olhos tentando entender e virar uma bagunça na sua mente. Gosto de filmes bem esclarecidos, dá mais prazer em assistir. Mas no geral, achei muito bom. Não é um filme que faz você pular igual Invocação do Mal 2, mas essas meninas perturbadas dão muito medo, além do cenário rural que você mencionou e algumas sacadas, tipo o colar no sal ser uma proteção e cada um querer um destino para ele. Eu entendi que a menina não era filha do Rubens, e sim do caseiro - que a matou por achar que ela matou a própria mãe -, e só o Davi via ela o tempo todo, além da Júlia. Tanto que a outra irmã, Gabi, que sobra no filme, pergunta "Lili? Quem é Lili?" pra Júlia. Eu daria um 7,5 por ser filme de terror BR e não ser do Zé do Caixão :)

Caio Amaral disse...

Oi Kawane, foi mais ou menos o que entendi também.. só não entendi direito com a garota matou a mãe, por que, etc.. talvez tenha faltado um flashback nesse momento, explicando toda a história (apesar disso ser um clichê).. o filme começa com um flashback (o Rubens criança achando o caseiro enforcado), mas isso tem pouca relevância pra trama.. um flashback melhor seria um que explicasse melhor a morte da esposa e da filha do caseiro..
Pois é, levando em conta o padrão nacional, daria pra dar uma nota mais alta mesmo, hehe.. é que eu dei a nota comparando com filmes de terror americanos tb. Mas apesar dos problemas de roteiro, achei legal a proposta do filme. Abs!

Diana disse...

Fiquei "pendurada" neste final. A menina era filha do caseiro, parece que matou a mãe - isto não ficou muito claro - e o fantasma queria acabar com ela. Levou-a para o barco e daí começa a confusão. Parece que ele tentou afoga-la, mas a garota aparece sozinha no barco afirmando que ele não fará isto novamente. E depois o Davi aparece no meio de umas brumas..... Ele morreu? O que vemos depois já é o fantasma dele? Já não interage com mais ninguém da casa... E no final parece estar entregando a boneca para a menina fantasma.... Enfim, um final bastante confuso.

Caio Amaral disse...

Confuso mesmo.. acho que uma das marcas dos bons cineastas é a clareza da comunicação..

Marianna Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marianna Santos disse...

Eu entendi isso tbm que só a menina e o Davi viam essa Lili. Que por algum motivo o caseiro achou que a Lili matou a mãe e digo mais rs entendi que o caseiro não estava tentando prejudicar a família e sim a filha que ele sabia que não é gente boa, porque mostram no final a menina causando o acidente do pessoal que tava fugindo. Quando o caseiro afoga a Lili o Davi joga o colar no fogo e o caseiro queima, só quem quem machucava a menininha era a Lili, logo acabaram com o espírito errado.rs E no final ele parecia estar vivo mas o espírito da Lili tava lá ainda, o que não deve ser bom.rs

Marianna Santos disse...

Eu entendi isso tbm que só a menina e o Davi viam essa Lili. Que por algum motivo o caseiro achou que a Lili matou a mãe e digo mais rs entendi que o caseiro não estava tentando prejudicar a família e sim a filha que ele sabia que não é gente boa, porque mostram no final a menina causando o acidente do pessoal que tava fugindo. Quando o caseiro afoga a Lili o Davi joga o colar no fogo e o caseiro queima, só quem quem machucava a menininha era a Lili, logo acabaram com o espírito errado.rs E no final ele parecia estar vivo mas o espírito da Lili tava lá ainda, o que não deve ser bom.rs

Caio Amaral disse...

Nossa Marianna... eu tava tão perdido que nem prestei muita atenção no que aconteceu nos últimos 10 min, rsss.. que bom q vc saiu mais esclarecida..

Unknown disse...

Alguém pôde me dizer quem matou a Norma!

Messias Rodrigues disse...

Alguém pôde me dizer quem matou a Norma!

Caio Amaral disse...

A Norma é a tia que morre na casa do caseiro? Já não lembro mais quem matou quem..

Uta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Uta disse...

Minha compreensão do filme:
O colar é a conexão que o espírito do Caseiro tem com o mundo dos vivos e no caso do espírito de sua filha, a menina chamada Lili, essa conexão é a boneca.
Quando o casal dono da propriedade resolve reformar a casa do Caseiro, a mãe eventualmente encontra a boneca e dá a filha Julia, o que faz com que o espírito de Lili comece a atormentar a menina.
O mesmo acontece com o colar que é retirado da casa, "despertando" o espírito do caseiro.
Lili mata a mãe e é afogada pelo pai. Faz sentido ele ter enterrado a esposa, deixado a filha apodrecer no lago e contar a todos que as duas fugiram, tirando depois a própria vida.
Fica claro que o caseiro aparece para Julia com a intenção de protegê-la da maldade de Lili, escondendo-a à noite em sua casa, no barco, sempre fora da casa dos donos.
Sua intenção é capturar Lili, mas de algum modo o colar no sal grosso parece impedir que ele entre na casa para pegá-la, por isso que Julia a provoca no começo do filme, dizendo que ela tem medo de sair da casa à noite.
Lili precisa que alguém se livre do colar e tenta convencer Julia, mas a menina, provavelmente alertada pelo caseiro, se nega. Por isso Lili a machuca.
Quando Davi aparece, Lili se aproveita do seu dom para vê-la e começa a manipulá-lo, fingindo ser uma das filhas de Rubens, com o objetivo claro de levá-lo a destruir o colar e assim se livrar do espírito do pai.
Quando Julia conta à mãe, Lili provoca o acidente que a acaba matando.
Quando Nora vê Davi falando com alguém que ele chama de Lili, alguém que ela não vê, já que é um espírito, ela liga os pontos e corre até a casa do caseiro talvez para confirmar o nome da menina (quando Rubens a vê morta, ao lado dela está um álbum de fotografias).
Lili então mata Nora para que ela não conte tudo e estrague o seu plano com Davi.
Na cena do barco, o "afogamento" não é concluído pq Davi joga o colar recusado pelo caseiro na casa em chamas, destruindo o objeto junto com o espírito do homem.
É aí que Lili fala: "Ele nunca mais vai me afogar."
Julia desiste da boneca e diz ao pai que ela não lhe pertence, terminando com Davi entregando a boneca ao espírito de Lili.
Observações: Rubens e o padre não vêem a ossada da mulher do caseiro pq não existem mais ossos depois de 45 anos.

Unknown disse...

Poxa vida, Uta, foi você quem escreveu o filme ou você sabe tudo de filme de terror! Tava toda confusa e você esclareceu tudo! Valeu!

Caio Amaral disse...

Interessante Uta... Eu já esqueci muito da história pra tentar "bater" como que você falou... De qualquer forma, mesmo que isso explique os eventos, duvido que 2% do público saia do filme com essa clareza... abs.

Uta disse...

Unknown, que bom que vc lembrou o suficiente para entender o quebra-cabeça. Não tem de quê.

Caio, exatamente por isso que eu resolvi postar. Assisti pela primeira vez com a minha irmã, mas não prestamos atenção e acabamos o filme bem confusas. Daí resolvi assistir novamente e, finalmente, entendi. Espero ter contribuído para quem ficou perdido na história.

Abraço a todos.

Anônimo disse...

Porque não existiria ossos depois de 45 anos se até hoje acham até de dinossauro ???

Anônimo disse...

É... Descarta essa pergunta da ossada, você ta certa mas.... Como o padre na primeira vez que foi com o Davi desenterrar a ossada da mulher, viu a ossada e depois junto com Rubens,não vê ?

Uta disse...

Então, Anônimo, nunca saberei exatamente, mas seguindo a lógica e sabendo que apenas Julia e Davi vêem o supernatural, o crânio sendo também uma "aparição", o padre não chegou a ver nada, apenas Davi.
Afinal, faz todo sentido ele falar ao ver Davi parar de cavar: "Só pode ser a esposa dele, Davi. Era isso que ele queria te mostrar? Pensa, David, pensa!". Se ele realmente estivesse vendo alguma coisa já teria chegado a essa conclusão e o diálogo seria diferente, possivelmente inexistente.

Caio Amaral disse...

Uta, foi coincidência vc passar aqui justo quando o Anônimo respondeu? Ou vcs recebem algum tipo de mensagem quando há uma resposta?!

Uta disse...

Olá, Caio. Sempre que alguém faz um comentário nesse post eu recebo um aviso no e-mail.

Caio Amaral disse...

Legal.. deve ser pq vc entra logada no Google né.. nunca soube disso! ;)

Uta disse...

Rs, sim, Caio. Tem uma opção para se inscrever e acompanhar os comentários quando vc vai fazer um, aí se vc não tiver logado já, ele pede para entrar com a conta do Google. ^^