segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Águas Rasas

NOTAS DA SESSÃO:

- Um pouco anticlimático o tubarão ser mostrado logo na primeira cena. É o oposto do princípio que fez de Tubarão (1975) um bom suspense.

- O ambiente do filme é agradável. Blake Lively é bonita, simpática, o filme se passa numa locação incrível, as imagens dela chegando na praia e entrando no mar são lindas, etc.

- Um pouco forçado ela ir pra um lugar tão isolado sozinha (deixar pra combinar com a amiga por mensagem de texto já do meio do caminho), e ficar lá sem ter carona pra voltar depois.

- Há um bom momento de suspense quando ela fica sozinha no mar, os outros surfistas vão embora, e sabemos que o tubarão irá aparecer.

- Ela subindo na baleia morta após o primeiro ataque é bem inusitado.

- Detalhes que tornam o filme falso: a Blake em cima da baleia narrando pra plateia o "plano" do tubarão: "Onde você vai me levar?", quando ele começa a empurrar a baleia.

- Quando ela sai de cima da baleia e vai pra pedra há outro momento de suspense, mas daí o filme já começa a ficar repetitivo. Não sei como ele vai fazer pra se manter interessante até o final com uma situação tão limitada, onde só há 1 personagem e não há muito o que ela possa fazer. Pelo menos há a expectativa dos 2 surfistas voltarem, já que vimos no prólogo o que acontecerá depois.

- Improvável ela costurar o machucado com o brinco. Depois comer o siri, vomitar... O filme tá começando a virar uma coisa violenta e desagradável tipo 127 Horas. Usando isso como recurso pra "entreter" a plateia.

- SPOILER: Outra cena falsa: a ideia do bêbado na praia não oferecer ajuda, ainda roubar as coisas dela, depois entrar na água pra roubar a prancha, etc.

- Essa sub-trama da gaivota também é boba. Nem vi direito como ela foi machucada e como chegou até a pedra. O filme fica tentando contornar a monotonia da premissa de diversas formas, mas não funciona pois as ideias são artificiais.

- SPOILER: Mais cenas falsas: os 2 surfistas voltarem, não ouvirem ela avisar sobre o tubarão e serem ambos comidos. Pra que o filme criou tanta expectativa em cima deles 2 se eles seriam mortos tão rapidamente, sem ajudar em nada a protagonista?

- De um segundo pro outro ela surge com um plano que nem vimos ela bolar: ela já calculou que o tubarão leva 32 segundos pra nadar da baleia até a pedra, e resolve entrar na água pra pegar a GoPro do surfista (se ela entrar na água, o tubarão não vai começar a nadar mais rápido pra comê-la, invalidando esse cálculo?!). A ideia dela arriscar a vida só pra poder gravar uma mensagem de vídeo com a câmera é um absurdo. Como ela fará a câmera chegar até a areia depois? Ela não está vivendo numa ilha deserta tipo Náufrago onde uma ação do tipo poderia fazer algum sentido.

- Essa história de fundo da mãe que morreu é uma tentativa ruim de dar profundidade psicológica ao filme. A ideia de que a mãe era uma "lutadora" e por isso agora ela irá "lutar" contra o tubarão pra honrar a mãe. Era melhor não ter nada disso e ser um filme de ação minimalista tipo Encurralado.

- Ela sai da baleia, vai pra cima da pedra, depois sai da pedra, vai pra cima da boia... O roteiro tem variações muito monótonas. Ela não está chegando cada vez mais perto de seu objetivo. Só está mudando de lugar.

- Ela usar o cardume de águas-vivas pra escapar do tubarão também é forçado. Tudo no filme soa "forçado" pois além da lógica ser problemática, o tom realista e sério do filme não combina com certos exageros que filmes de escapismo romântico permitem.

- SPOILER: Romantismo Reprimido. A maneira como ela coloca fogo na água e depois mata o tubarão é ridícula. O prazer do filme parece ser o de tornar o heroísmo da protagonista forçado. Como se estivesse zombando desse gênero de filme, mas ao mesmo tempo tentando se levar a sério, sem querer se tornar um besteirol óbvio como Sharknado.

------------------

CONCLUSÃO: Assistível, mas tolo demais pra ser bem sucedido como filme de ação, e sério demais pra ser bem sucedido como paródia.

The Shallows / EUA / 2016 / Jaume Collet-Serra

FILMES PARECIDOS: Sharknado / Piranha (2010) / Enterrado Vivo / Mar Aberto

NOTA: 4.5

Um comentário:

Jessie Vieira' disse...

eu gostei bastante do filme, achei a interpretação dela muito boa, ate mesmo pq ela não tem ngm pra contracenar na maioria do tempo.
Achei a historinha da gaivota interessante pq ficou meio como um scape pra ela não surtar ali sozinha. Era uma ave presa na pedra sem poder voar, e que quando chegasse a mare cheia ia morrer.
Não vi nenhuma espectativa criada em cima dos dois surfistas, até pq no inicio já mostra que amo menos UM deles será definitivamente morto, e outro ao menos atacado.
O cara bebado tb não me estranha, simplesmente roubar as coisas dela, ele estava bebado, e até então não sabemos o carater das pessoas não é mesmo? Quando ele sorri pra ela, eu tive a impressão de que ele nem ao menos estava acreditando que ela estava ali de verdade.
Achei um pouco forçado a cena dela se "costurando" com alfinetes, acho que se ela tivesse usado aquela corrente como linha seria mais aceitavel. Tb ficou estranho os dois surfistas nao darem bola pra ela, quando ela avisa do tubarão, pow pq ela estaria em cima daquela pedra sem prancha? Mas eles nao compreendiam muito bem o ingles, então podem nao ter entendido muito bem, apesar de terem respondido que não existia tubarões ali, acho que foi o classico "não vamos dar ouvidos para essa mulher doida"
A cena do plano, não foi bem um plano, ela percebeu que o tubarão nadava em circulos e demorava o tempo x para passar ali de volta, e viu aquela outra rocha que conseguiria chegar. O tempo que ela demorava pra nadar ela já sabia, ate pq ela é uma surfista a tempos, tanto que quando vai nadar pra boia, ela mede aproximadamente a distancia e o tempo que vai levar.
Por fim a cena do fogo... fiquei um pouco WTF quando vi, mas depois pensei que talvez aquela baleia em decomposição estivesse soltando na água algum tipo de substancia inflamavel, como aqueles oleos de baleia que antigamente usavam nos lampiões eu acho.
Agora a cena final, dela usando a corrente pra chegar até o fim do mar e matar o tubarão daquele jeito, eu achei forçado... ela teria que ser uma filha de posseidon pra conseguir prender o folego por tanto tempo ne? Descer aquele tempo todo e depois ainda subir no nado. kkk mas enfim... O tal do carlos tirando ela da agua e nao tentar nenhum 1 socorros foi bem tenso tb.
O que mais me deixou grilada foi: A amiga dela foi pra baladinha com o boy e nem deu falta que a amiga nao voltou pra casa? Por duas noites????? Que amiga é essa.... kkkkk se bem que não iria adiantar, já que ngm sabia o nome da bendita praia.