segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Capitão Fantástico

NOTAS DA SESSÃO:

- O filme prende a atenção afinal é uma situação extrema, queremos entender por que essa família vive de maneira tão selvagem no meio da floresta.

- Alerta Vermelho (anti-capitalismo). Esse pai é totalmente irracional por fazer isso com os filhos. E o problema é que o filme o retrata positivamente. Não há nenhuma coerência no fato dele condenar o "consumismo", ir morar na selva, mas daí na hora do aperto (quando precisa de hospital, comida) pegar o carro e ir usufruir das maravilhas do capitalismo.

- Alguns elementos na maneira como ele cria os filhos são interessantes, como o realismo, a honestidade na hora de abordar temas sérios (embora em muitos momentos ele passe do ponto, esquecendo que crianças não têm contexto psicológico pra absorver certas coisas). Mas em geral ele é um pai irresponsável, desagradável, insensível, que está arruinando a vida dos filhos.

- Um absurdo eles roubarem comida do mercado e ainda acharem que estão fazendo algo moralmente defensável.

- A história é um pouco Naturalista, sem uma narrativa muito linear, mas não entedia pois está sempre acontecendo algo diferente e inesperado na tela.

- O filme tem consciência de que o personagem do Viggo Mortensen é questionável moralmente. Não fica apoiando cegamente o personagem - sempre faz questão de mostrar o ponto de vista dos filhos, que às vezes estão contra o pai, ou então de mostrar os argumentos dos outros parentes que acham ele é um louco. E faz isso honestamente, como se estivesse considerando os 2 lados do debate friamente, sem tomar partido. Mas fica sempre a sensação de que o filme quer que a gente simpatize pelo Viggo Mortensen, apesar de tudo que ele faz (da mesma forma que a menina diz que simpatiza pelo protagonista de Lolita apesar dele ser um pedófilo). Eu acho que são 2 casos bem diferentes - que Lolita (julgando pelo filme) retrata o personagem de forma apropriada, e este aqui não.

- O filme se baseia numa falsa dicotomia: é como se a vida fosse uma escolha entre se vender pro sistema e ter uma vida alienada e sem liberdade, ou então romper com toda a civilização, voltar pra selva, e daí ter uma vida digna. Se só existissem essas 2 opções, talvez eu preferisse mesmo ir pra selva. Mas é uma discussão tola, incompleta.

- Ridículo o Viggo Mortensen achar que a filha dele de 7 anos é mais bem informada que os meninos "civilizados" pois ele a forçou a decorar a Declaração dos Direitos dos EUA. No que isso a torna mais bem equipada pra viver do que eles?

- Péssimo o comportamento do pai no funeral da esposa. O filme é basicamente sobre um homem fazendo uma série de coisas erradas, mas querendo que a gente o ache tudo "cool", afinal ele é hippie, de esquerda, se veste de maneira estilosa, então merece o respeito automático da plateia.

- SPOILER: Em certo ponto (quando o Frank Langella consegue levar os netos pra morar com ele), o filme quase convence de que o pai sairá derrotado da história. Que a intenção do filme não era defendê-lo, mas mostrar que ele estava fazendo mal pros filhos. Mas daí há uma reviravolta e fica claro que isso tinha sido apenas pra criar um suspense - que o filme estava defendendo o pai o tempo todo.

- SPOILER: Horrível os filhos jogando as cinzas da mãe na privada e dando risada. Isso não passa a impressão de que as crianças são mais maduras, "livres" dos costumes superficiais da sociedade, e sim que elas são delinquentes.

- Com que dinheiro o filho mais velho vai viajar pro exterior? Com o do avô? E o pai aceita numa boa? Isso mostra o quão "íntegro" ele é.

- SPOILER: Não sei por que o Viggo Mortensen faz a barba, o outro raspa o cabelo. Não ficamos com a impressão de que eles se transformaram essencialmente. Eles simplesmente passaram por um momento difícil, tiveram seus valores questionados, mas no fim voltaram a ser mais ou menos como eram. Com algumas mudanças superficiais. O filme fica em cima do muro - não quer dizer que o pai está certo, nem errado, que ele teve que mudar sua filosofia, nem que continuou fiel à ela. É tudo meio cinza e vago.

------------------

CONCLUSÃO: Filme bem realizado, interessante, autêntico, mas com uma discussão problemática e errada moralmente.

Captain Fantastic / EUA / 2016 / Matt Ross

FILMES PARECIDOS: Moonrise Kingdom (2012) / Na Natureza Selvagem (2007) / Pequena Miss Sunshine (2006)

NOTA: 6.0

13 comentários:

Marcus Aurelius disse...

Caio, o que tu quis dizer com "falsa dicotomia"? eu vi várias vezes esta expressão nos livros de Rand, mas não consegui compreender inteiramente.

Caio Amaral disse...

oi Marcus, dicotomia é quando você divide um conceito em 2 categorias opostas.. e essas 2 categorias esgotam todas as possibilidades.. ou é opção A, ou é opção B.. e não há nada mais.. às vezes isso é válido.. mas no caso desse filme, ele tenta criar uma divisão simplista entre o mundo moderno versus o mundo em que vive o protagonista..

Unknown disse...

Vc é um falido de alma seu ridiculo..
Hahaha um verme como sempre..vai ver outro filme se n curtiu

Caio Amaral disse...

Qualquer um que tenha gostado desse filme é uma pessoa má e merece a morte no mínimo.

Marcus Aurelius disse...

Kkkkkkkkkkkkkkk.

Rose Constante disse...

Lendo esse artigo de um "cinéfilo" nao consigo digerir a apresentação dos fatos. Agora lendo a descrição do autor e descobrindo que está ligado a Amaury Jr. Consigo entender a forma quadrada de expressão

Caio Amaral disse...

Haha, você certamente deve ser uma grande de uma vaca..

Dood disse...

Lendo esse artigo de um "cinéfilo" nao consigo digerir a apresentação dos fatos. Agora lendo a descrição do autor e descobrindo que está ligado a Amaury Jr. Consigo entender a forma quadrada de expressão

-Acho de péssimo gosto quem faz ataque pessoal ao invés de apresentar uma opinião contra bem fundamentada.

Mas pelo menos me fez ver algo útil.. essa minha descrição no blog já foi apropriada quando eu tava começando aqui há 9 anos.. mas agora já não me descreve direito.

-Acho que somos meio que um Navio de Teseu. Rsss.

Caio Amaral disse...

Hehe, quase comentei o "ad hominem" dela.. mas às vezes acho que comentários assim não merecem respostas sensatas..

Anônimo disse...

beleza, vamos lá...
1. No filme ele usa um carro para todos, um carro que tem a anos, como mostra a foto da mulher dele ao lado do ônibus. Não há nenhum momento do filme que ele usufrui do capitalismo. Pelo contrário, o hospital foi pago pelo pai da esposa por exigência dele, não era o que marido queria. Ele queria que ela ficasse na floresta com ele e os filhos deles. No filme INTEIRO eles mesmos caçam e colhem seus alimentos em todos os momentos. UMA VEZ NO ANO eles compram um bolo pequeno pra família inteira pra comemorar o dia do aniversário daquele humanitário. Enfim, não mostra nenhuma hipocrisia por parte dele quanto a isso, então você já começa errado ai.

2. Quando nós temos contexto psicológico pra lidar com morte/suicídio? Gostaria de saber dessa. Eu com 19 anos não tenho pra absorver algo assim e vc também não, com certeza. Pai irresponsável? Porque acha isso? Talvez você pense como os primos dele, né? Que acham que o certo é nascer, ir pra escola, ir pra faculdade, ter um emprego, ter dinheiro, morrer; Pai desagradável? Claramente não pras crianças. Até quando ele decide ir embora as crianças vão com ele, então claro que ele não é visto assim pelos filhos; Insensível? Pq ele é frio ou porque ele é verdadeiro demais?; Está arruinando as vidas dos filhos... CLARO QUE NÃO, os filhos são saudáveis, inteligentes, se viram sozinhos e no final do filme ele os prepara também pra vida social, então fica óbvio que eles ficaram muito bem no final.

3. "Ridículo o Viggo Mortensen achar que a filha dele de 7 anos é mais bem informada que os meninos "civilizados" Pois ele a forçou a decorar a Declaração dos Direitos dos EUA. No que isso a torna mais bem equipada pra viver do que eles?" Você assistiu essa cena? Acho que não, né??? No início do filme a menina lê um livro avançadíssimo e diz que não tinha perdido o interesse nele e que queria continuar lendo. Essa é a beleza da coisa, o pai não precisa obrigar os filhos a estudar pra eles estudarem. Um pouco depois no filme, o pai pergunta sobre a Declaração dos Direitos e pede pra ela falar COM AS PALAVRAS DELA o que ela acha disso. Ela tem 7 anos e tem um senso crítico DO CARALHO. Ela é anos-luz mais informada e inteligente que os primos. Socialmente falando? Ela não é mais bem equipada pra viver do que eles. Agora... no geral? Ela sabe se virar sozinha, sabe de tudo sobre o mundo, política e fisiologia/biologia, luta... ELA DA NO CHINELO EM TODA AQUELA FAMÍLIA.

4. "Péssimo o comportamento do pai no funeral da esposa." Porque? Péssimo dos pais da Leslie!!! Eles não a respeitaram nem em sua morte. Ele não fez nada além de tentar mostrar isso pra eles e pras pessoas no funeral.

5. "SPOILER: Horrível os filhos jogando as cinzas da mãe na privada e dando risada. Isso não passa a impressão de que as crianças são mais maduras, "livres" dos costumes superficiais da sociedade, e sim que elas são delinquentes." KKKKKKKK, NÃO SEI NEM O QUE DIZER QUANTO A ISSO... DELINQUENTES??? Por favor, né... É O QUE A MÃE DELES QUERIA E ELAS SÃO TÃO AVANÇADAS E MADURAS QUE ENTENDEM PERFEITAMENTE A MORTE. Sério, esse comentário foi bem infeliz... Você não prestou atenção mesmo no filme... No funeral dela o pai diz que ela queria ser jogada na privada de um lugar público como uma grande piada, tem uma filosofia muito grande por trás disso.

6. O pai mesmo diz que eles tem muito dinheiro guardado porque só gastam com o super necessário. Com certeza eles tinham uma quantidade enorme de dinheiro com as trocas e tudo mais. Imagine anos fazendo dinheiro e sem gastar com nada... Até pq eles são completamente autônomos e não precisavam de comprar nada.

CONCLUSÃO: pelo amor de deus, assista o filme de novo PRESTANDO ATENÇÃO EM TUDO. Sua "crítica" foi completamente sem embasamento nenhum e MUITO rasa. Você só jogou as coisas sem falar o porque, contextualizando e etc. Olha, achei bem ruim. Espero que você reveja e faça uma nova crítica!

Caio Amaral disse...

Se ele fosse realmente íntegro e não se aproveitasse do capitalismo (ter carro, comprar combustível, ter acesso a hospitais, supermercados pra eles roubarem, ter ajuda de parentes ricos) eles poderiam sobreviver da mesma forma na selva? Certamente não.

Acho errado nesse caso dizer: você não "entendeu" o filme e por isso não gostou. Acho que entendi tão bem quanto você, a diferença é que temos valores morais diferentes, portanto as mesmas atitudes foram avaliadas de maneiras opostas.

DiegoxDS disse...

Que merda toda foi essa que eu acabei de ler?? Um acéfalo como Caio devia guardar suas opiniões para si, expor tanta ideia merda sobre um filme incrível como esse me tira do sério, você falou de valores morais na sua resposta anterior, me faz pensar que tipo de pessoa pode ser totalmente apoiado em doutrina politica para viver, claramente você não sabe a definição de viver a vida.

Caio Amaral disse...

Antes de uma "doutrina política" eu tenho uma ética... que diz por exemplo que uma pessoa não deve roubar, agir irracionalmente, etc... se o personagem apenas tivesse uma outra visão política da minha, mas em sua vida pessoal fosse totalmente íntegro, responsável, bondoso, eu não o condenaria...