sábado, 12 de outubro de 2013

Gravidade (anotações)

- Cena de abertura tem pelo menos 15 minutos sem cortes?? Impressionante tecnicamente. Coisa que crítico adora. Embora é claro que devem haver cortes, já que muito é computação gráfica. 

- História simples, mas direção, trilha e fotografia fantástica tornam o filme uma experiência sensorial forte.

- Ambientação original destaca o filme. Não me lembro de outro filme sobre pessoas à deriva no espaço. Se o filme tivesse a mesma qualidade, mas se passasse no mar ou numa ilha deserta, não seria tão memorável.

- Cena em que George Clooney se desprende de Sandra parece falsa. A corda estica e ele continua sendo puxado pra trás, como se houvesse uma espécie de vento ou correnteza. Mas sem gravidade, assim que a corda esticasse, imediatamente eles voltariam no sentido oposto. Filme não parece respeitar as leis da física.

- SPOILER: Estranho não explorarem a morte do George Clooney, teria sido uma cena assombrosa. Ele vai embora todo seguro, dando conselhos positivos pra Sandra. Imagine o que esse cara não passou?? Deveríamos ter ficado na pele dele por alguns momentos...

- Destruição da estação espetacular! Efeitos especiais merecem Oscar. O fato de não haver o som do impacto torna tudo ainda mais realista e dramático.

- Revelar que ela perdeu uma filha não torna a história mais profunda... Isso é uma tentativa de inserir significado numa história que no fim é pura ação (em Aliens, o fato da Sigourney Weaver ter perdido uma filha era relevante, pois dava um contexto pra relação dela com a nova garotinha, que era central na história).

- SPOILER: Entendi por que não mostraram a morte do George Clooney - pra fazer a plateia pensar por alguns segundos que ele sobreviveu, na cena da alucinação. Mas não sei se foi uma boa escolha. 

- Filme está muito mais pra um filme de ação minimalista do tipo Mar Aberto, Enterrado Vivo, ou mesmo Encurralado do que pra um 2001. Comparação de certos críticos com 2001 é inapropriada. Gravidade não é um filme de ideias. É apenas sobre pessoas escapando de uma ameaça física. Ação pura. O que dá a sensação do filme ser grandioso e importante não tem tanto a ver com o conteúdo, mas com a direção de Cuarón (e a trilha sonora agressiva estilo Christopher Nolan). 

- Lágrimas em gravidade zero: ótima sacada!

- SPOILER: Pensei que fosse haver uma revelação no final, alguma ideia surpreendente ou profunda. Alfonso Cuarón disse que no filme há o tema do "renascimento" (Bullock na posição fetal, etc), e que o final é a evolução do homem resumida em 1 única cena.. Ela saindo da água, como as criaturas primitivas, se rastejando até a terra, andando sobre 4 pernas e finalmente ficando de pé. Puro besteirol. Filme não é sobre isso.

CONCLUSÃO: Filme de ação tenso, com produção espetacular e ambientação original, mas não é tão profundo ou intelectual quanto tenta ser.

(Gravity / EUA, Reino Unido / 2013 / Alfonso Cuarón)

FILMES PARECIDOS: O Impossível, Mar Aberto, Apollo 13, Das Boot.

NOTA: 8.0

Nenhum comentário: