segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Deadpool

NOTAS DA SESSÃO:

- O filme é esforçado e cheio de ideias desde os créditos iniciais, porém a intenção é obviamente a de ridicularizar o conceito de super-herói, servindo como um exemplo extremo do que eu comento nas postagens Romantismo Reprimido e Herói Envergonhado. Depois dos sucessos de Homem de Ferro, Guardiões da Galáxia, Kingsman, Homem-Formiga, Perdido em Marte, podemos dizer que os americanos estão em uma "relação complicada" com os heróis tradicionais - e Hollywood é apenas um reflexo disso.

- Muitas frases tolas que tentam se passar por boa escrita, frases inteligentes.  Por exemplo: "O que um lugar como esse está fazendo em uma garota como você?". Ou então a piada sobre as pernas da menina serem o Natal e o dia de Ação de Graças - e ele querer "encontrá-la entre os feriados". Não chega a ser como nos filmes do Tarantino, que apesar dos personagens moralmente duvidosos, eu admito que costumam ter diálogos criativos e inteligentes.

- A mistura de humor com violência extrema é repulsiva. Me lembra o primeiro Kick-Ass.

- As constantes referências cínicas à cultura pop (Wham!, etc.) é o que digo no item 6 da postagem Romantismo Reprimido.

- A história é uma bobagem. O cara se irrita com o Deadpool por ele tê-lo chamado por seu nome real (Francis) e isso é o que gera o conflito "épico" do filme! Sem falar que não faz sentido o Francis achar que matou o Deadpool (quando enterrou a barra de ferro nas costas dele), sendo que ele sabia que ele já tinha sofrido a mutação, e provavelmente sobreviveria ao ferimento.

- Em vez de salvar o mundo ou realizar algo glorioso, a meta do herói é recuperar seu visual sexy pra não assustar a namorada. Se o romance fosse bem desenvolvido e sensível, isso pelo menos poderia ter algum interesse.

- No meio das cenas mais dramáticas, o filme quebra a seriedade com piadas inapropriadas (quando Deadpool fala sobre seu câncer, ou quando a namorada é raptada pelo vilão, ou os bichinhos de desenho animado que surgem no meio da batalha final) - é a estratégia número 2 da postagem Romantismo Reprimido.

- A luta final é um tédio. Não sabemos qual a força de cada personagem, que risco cada um corre, o que eles podem fazer pra destruir o vilão, etc. A ação não é boa.

- Por que a namorada não morre no final quando cai lá de cima da estrutura? O fato dela estar dentro da cápsula de vidro não anula o impacto.

CONCLUSÃO: Filme fraco de super-herói que tenta equilibrar este fato tirando sarro de si mesmo, o que o torna ainda pior.



Deadpool / EUA, Canadá / 2015 / Tim Miller

FILMES PARECIDOS: Homem-Formiga / Kingsman: Serviço Secreto / Guardiões da Galáxia / Kick-Ass: Quebrando Tudo / Homem de Ferro

NOTA: 2.5

15 comentários:

Marcus disse...

Fala Caio, blz. Vai fazer sempre um review em vídeo acompanhando as postagens? Gostei.

Caio Amaral disse...

Oi Marcus tdo bem? É um experimento.. to tentando perder a timidez, hehe.. hj em dia muita gente busca críticas no YouTube.. quero ver se fazendo isso consigo atrair mais gente pro blog.. mas ainda não sei se faço vídeos comentando cada filme.. ou só pra postagens especiais.. sei lá.. tem q ver o q o povo acha, mas valeu pelo feedback! ABs!

Rodrigo E. disse...

Caio, faz uma lista dos 10+ filmes de heróis dos quadrinhos (fecha 10 será?), hehe.

Não vi Deadpool ainda, mas eu já imagino que não vou gostar. Eu não gosto dessa tendência de filmes de super heróis, e espero que o Spielberg esteja certo quando falou que isso será só uma fase, assim como foram os filmes do velho oeste. Para mim são poucos que entram ao menos na categoria de assistíveis.

Eu há um bom tempo atrás era um leitor assíduo de quadrinhos, mas sinceramente, não conseguia ir muito longe nos quadrinhos (HQs) de heróis americanos. Gostava bem mais dos quadrinhos japoneses (mangás). Tanto as história como os personagens me atraiam mais.

Eu queria mais gente séria trabalhando em adaptações de mangás para o cinema. Recentemente o próprio cinema japonês acertou numa adaptação: Samurai X. Já ouviu falar? Foram três filmes. Os filmes são sobra a jornada de um samurai chamado Kenshin Himura, que lutou na Revolução Meiji e ficou conhecido como "O Retalhador", mas que depois disso resolveu se tornar andarilho e carregar uma espada sem fio, junta com a promessa de nunca mais matar (precisa admitir, só isso já soa mais interessante que a premissa de Deadpool e Homem Formiga né? haha).

Realmente deu pra notar que é uma produção de outro nível (antes, nunca tinha visto uma adaptação deles realmente digna de nota). Tem na Netflix, se um dia lhe interessar!

OBS: gostei do novo formato de postagens com o vídeo.

Caio Amaral disse...

Oi Rodrigo! Nossa.. os fãs dos quadrinhos vão me odiar se eu fizer um top 10, hahaha.. Nem sou um grande conhecedor.. em geral acho os filmes "ok".. nem ruins, nem muito bons.. tipo esses X-Men, Avengers, Spider Man, etc.. O que eu gosto mais acho que é o Superman de 1978.. o Supergirl de 1984.. Desses mais novos.. o Watchmen achei interessante.. o primeiro Thor.. e o primeiro Capitão America.. e gostei dos The Amazing Spider-Man.. Fora isso, não me animei muito com nenhum pelo que lembro.

Mangá então, conheço menos ainda! Samurai X nunca tinha ouvido falar.. vou dar uma olhada no Netflix! Parece legal a história!

Legal q curtiu o vídeo.. nesse caso fiz as 2 coisas pro povo não reclamar que eu mudei o formato, que preferiam texto, etc, haha.. vamos vendo o q pega melhor. Abs!

Djefferson disse...

Olá Caio. Eu também gostei do formato em vídeo. Permite um rapport melhor do que somente o áudio que você usara antes. Mas permaneça com os textos também.

Notei que nesta crítica em questão você não avisou dos Spoilers, esqueceu ou a história é tão vazia que não há o que ser revelado?

Anônimo disse...

O filme Kingsman eu concordo com quase tudo que você disse, mas dois fatores eu achei excelentes: o figurino e a técnica utilizada para filmar as cenas de luta. Eu me interessei em assistir o filme justamente por causa do figurino, que eu achei muito bom.

Caio Amaral disse...

Oi Djefferson! Valeu.. entre vídeo e só o áudio como fiz antes, acho que realmente o vídeo é mais legal né..! A princípio vou continuar com as postagens normais em texto.. e deixo vídeo pra situações especiais, filmes de destaque, etc. Quanto aos spoilers... acho que nesse caso não tinha mesmo.. a narrativa é bem comum, previsível.

Anônimo.. Ah, sim, esses aspectos do Kingsman são bem feitos mesmo. Mas o que faz a gente simpatizar ou não por um filme não elementos mais fundamentais né.. não questões como figurino, efeitos visuais, que são mais secundárias. Abs.

Marcus disse...

Caramba! Tudo que é crítica que eu leio/assisto sobre Deadpool fala que não vão dar alerta de spoiler porque a história é previsível demais. Assim desanima de ir ver.

Eu queria dar umas risadas, mas a "graça" do humor é que ele vem de forma inesperada, agora quando você já está esperando a piada naquela hora, não existe comédia. Alguns críticos dizem que a parte dramática era ruim, a ação era fraca, e o que poderia salvar o filme, o humor, é previsível e irritante demais dando pra adivinhar todas as piadas.

Acho que vou rever George, o rei da floresta.

Caio Amaral disse...

É Marcus.. eu achei um filme fraco, que só está fazendo sucesso por causa da personalidade diferente do herói.. e como eu tive problema com isso também, não me diverti.. mas volto a dizer: o filme está quebrando recordes de bilheteria e está em 44º lugar no top 250 do IMDb entre os melhores filmes de todos os tempos.. então é possível que vc goste, hehe.

Anônimo disse...

Visito o blog justamente por expressar opiniões controversas da maioria. Acredito que não deveria refrear as postagens temendo desagradar alguma parcela da população. Sinto que deixas de publicar algumas críticas por motivo de que pode gerar discussões agressivas por parte dos ofendidos.

Ou seja, quero dizer que incentivo a publicação de artigos mesmo que "pessoas o odeiem", como você as vezes diz.

Caio Amaral disse...

Olá... Olha, não tenho uma opinião formada sobre isso... Sobre o quão 'passional' eu deveria me permitir ser nas postagens, etc. No caso do Deadpool, não tive que me conter muito pq não foi um filme que me fez ferver o sangue nem nada... Fiquei mais entediado do que qq outra coisa.. Mas em alguns casos, é verdade que adoto uma postura mais fria e analítica.. pq tenho receio de machucar amigos, parentes e pessoas que curtem o blog mas nem sempre pensam igual a mim.. afinal arte é uma coisa complexa.. a pessoa pode ter a mesma filosofia que eu, as mesmas opiniões sobre diversos assuntos, mas quando o assunto é cinema, arte... as reações são as mais imprevisíveis... Acho que se eu alienar a pessoa emocionalmente, ela pode ficar contrariada e não ouvir direito minhas razões. Mas enfim.. De qualquer forma, eu tento sempre honesto e claro nos comentários.. Passional ou não, eu não falo bem de um filme só pra agradar as pessoas, nem o contrário.. no máximo coloco uns amortecedores nas palavras, hehe. Abs!

Anônimo disse...

Rodrigo E. disse: "espero que o Spielberg esteja certo quando falou que isso será só uma fase, assim como foram os filmes do velho oeste"
E o western foi uma 'fase'? Os filmes de faroeste foram produzidos durante 60 anos antes do gênero entrar em declínio. Talvez seja o tempo necessário para esgotar a galeria de super-heróis da Marvel, com todas as continuações e variações.

Caio Amaral disse...

Hehe.. Acho que os faroestes foram populares durante muito tempo pq retratavam uma história relativamente recente pra época.. ainda bastante viva na cultura americana.. quem era jovem nos anos 40, por exemplo, devia ter avós e bisavós que fizeram parte do velho oeste.. pros jovens de hoje já é algo antigo demais, que não tem relação alguma com seus ancestrais nem nada.. Já filmes sobre a 2ª Guerra por exemplo, retratam um passado relativamente recente pros jovens de hoje.. então há um interesse histórico maior por esse período..

Filmes de super herói são um caso diferente.. acho que se trata de um modismo mesmo.. quase que um movimento cinematográfico.. assim como filmes de terror, slashers, foram moda nos anos 80.. filmes de fantasia familiares foram moda também nos anos 80.. filmes catástrofe foram moda nos anos 70 e depois nos anos 90 de novo.. filmes de ficção-científica foram moda nos anos 50... São gêneros que podem nunca desaparecer, mas que por questões culturais, comerciais, "explodem" mais num determinado período..

Anônimo disse...

O ruim não é nem o modismo de super-heróis, mas esse culto ao bad boy e ao deboche que se vê em tantos filmes. A época atual tem se mostrado carente de valores nobres, e não sei se isso será só uma moda.

Caio Amaral disse...

Aí eu concordo.. Esse cinismo na arte é reflexo do Senso de Vida americano, que veio decaindo nas últimas décadas.. Não acho que seja um modismo apenas, mas não é algo irreversível também.. No final da década de 60 e durante a maior parte dos anos 70, os filmes americanos também se tornaram mais cínicos, com valores menos nobres.. foi o fim da era dos musicais, os filmes ficaram bem mais sombrios, violentos, realistas.. Bonnie & Clyde, Perdidos na Noite, Taxi Driver.. etc.. Já no fim dos anos 70 e durante a década de 80, 90, houve uma era de maior otimismo.. então na minha visão isso é algo que pode flutuar.. subir, descer.. Assim como uma pessoa, acho que um país também tem períodos de autoestima mais alta e períodos de autoestima mais baixa.. e isso depende de muitos fatores, imagino eu.. da filosofia predominante.. do quão confiantes as pessoas estão na economia, no futuro do país, etc. Arte e política sempre andam próximos..