sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Perdido em Marte

ANOTAÇÕES:

- Bonita a parte visual: a paisagem marciana, os efeitos especiais, etc.

- O filme prende a atenção logo do começo e tem uma premissa interessante, embora a maneira como o Matt Damon é deixado pra trás parece um pouco forçada e mal explicada. Eles precisavam mesmo sair com pressa? Uma nave que vai até Marte não seria preparada pra aguentar tempestades? Os astronautas não podiam apenas aguardar a tempestade em outro lugar e depois voltar pra verificar se Damon estava mesmo morto?

- Usar o diário como pretexto pra ficar explicando a trama pro espectador me parece preguiçoso e pouco cinematográfico.

- Romantismo Reprimido: odeio a atitude cômica do Matt Damon, as piadas com música disco, etc. Isso tudo é feito pra destruir o aspecto épico e heroico da história que está sendo contada. Isso praticamente arruína o prazer de ver o filme pra mim.

- A história no fundo é tediosa. Ele tem apenas que ficar esperando durante anos e tomar cuidado pra não morrer de fome. Não há quase ação, um grande perigo se aproximando, uma descoberta fascinante (aliens, etc.) alguma relação pessoal importante, um vilão interessante, etc. E Damon leva tudo tão na boa que nem sentimos que ele corre grandes riscos.

- O filme pula o momento em que a mídia descobre que Damon está vivo e perde a chance de ter um bom momento.

- Não há nenhuma ideia inteligente no filme. É sempre assim: surge uma dificuldade desnecessária e não-essencial sobre um assunto técnico do qual a plateia não entende, e em seguida os personagens informam verbalmente a solução para essa dificuldade técnica, como se fosse uma sacada brilhante, mas deixando a plateia sem saber se ela é plausível e não exigindo nenhum raciocínio dela.

- Os astronautas e a equipe da NASA não parecem em nada com cientistas. Parecem o elenco de um sitcom. Aliás o roteiro e a direção têm um tom superficial, mastigado, pouco cinematográfico, típico de programas atuais de TV.

- Ele não tem como se comunicar com a Terra (conflito desnecessário) / ele vai atrás da Pathfinder (solução tola) / a Nave de resgate explode (conflito desnecessário) / aparecem os chineses e resolvem o problema (solução tola) / a nave do Matt Damon é muito pesada (conflito desnecessário) / ele desmonta a frente da nave e a cobre com uma lona (solução tola)

- Até parece que os astronautas não poderiam corrigir a altura da órbita e teriam que usar uma bomba pra mudar a direção da nave. Mais um conflito desnecessário com uma solução tola.

- SPOILER: Clímax fraco. Todos comemoram na Terra, mas Damon não tem uma relação importante com ninguém ali. Sem falar que depois desse "clímax" do resgate em Marte, eles ainda vão demorar meses pra chegar na Terra. Será que a comemoração principal não seria quando Damon chegasse finalmente em casa?

- SPOILER: Anticlímax terminar o filme na cena da palestra e com esse toque final de humor. E a música dos créditos talvez seja a mais horrível que eu já vi (eu gosto da música, mas usar essa música no fim de um filme como esse é simplesmente pra destruir o elemento épico da história).

CONCLUSÃO: Premissa interessante mas desenvolvida num roteiro sem suspense, sem drama, sem inteligência, e dirigido de forma pra destruir o aspecto épico da história.

(The Martian / EUA / 2015 / Ridley Scott)

FILMES PARECIDOS: Interestelar (2014) / Guardiões da Galáxia (2014) / Gravidade (2013) / Lunar (2009)

NOTA: 3.5

12 comentários:

Djefferson disse...

Poxa, eu estava até com vontade de assistir este filme numa sala especial chamada "Cinépic", não é muito mais cara que a normal. Eu vi a crítica geral só elogiando o filme de todos os lados. Dizendo que o filme passa rápido, que é divertido, etc.
E o mais importante pra mim: que o filme é cientificamente preciso.
Mas depois desta crítica sua, acho que vou ver em casa mesmo. Porque estou lá pra assistir uma dramatização, e se for o caso de precisão científica, assisto um documentário.

Caio Amaral disse...

Oi Djefferson.. o filme tá fazendo sucesso com o público.. e crítica também.. vá ver e julgue você..
Ele parece ser preciso cientificamente em coisas que não têm muita relevância dramática (por exemplo: como ele cultiva batatas em Marte, etc), mas é forçado e artificial em elementos bem mais importantes pra trama.. mesmo que a ciência fosse super precisa (o que não é), o filme ainda não pareceria inteligente. Sem falar que ciência não se trata só de robôs e máquinas.. comportamento humano também é ciência.. não adianta nada a batata ser científica e os personagens parecerem falsos, rs. Abs.

Djefferson disse...

Caio, já assistiu Primer? http://www.imdb.com/title/tt0390384/
É só ciência, ciência. Mas é um dos filmes mais chatos que já vi na vida. O mesmo se dá com quarteto fantástico.
Mas como exemplo de comparação, naufrago pode ser o mais impreciso cientificamente que quiser, é um filme que eu gosto e assistiria de novo, pois o roteiro é simples.
Agora quando o filme quer ficar saindo do simples sem ter capacidade pra isso, não fica bom.
Mas mesmo assim, vou ver ainda se vou. Semana que vem vai estar corrida pra mim.

Com relação a sala "Cinépic", ouviu alguma coisa? sabe se é boa? Abraços

Caio Amaral disse...

Concordo com vc! Ainda não vi o Primer.. e também não conheço a sala Cinépic, acho que essa rede não tem aqui em São Paulo.. abs!

Anônimo disse...

Não é uma rede de cinema. É uma sala especial. Eu fui ver o hobbit em 2012 e não vi diferença alguma. Ainda prefiro o imax

http://www.cinesystem.com.br/Cinepic

Caio Amaral disse...

Entendi.. deve ser equivalente à sala Xd do Cinemark.. algo acima das salas normais, mas ainda não uma IMAX, etc.

Anônimo disse...

Até que enfim um comentário justo, inteligente e plausível.
realmente é bem isso que você disse Caio. Achei fraco o elenco, o roteiro (mto), o enredo todo. Esperava mais do filme.
Ainda mais depois de ver Interestelar, que, na minha opinião, foi o melhor do gênero nos últimos tempos.
Esse filme, Perdido em Marte, não traz profundidade, densidade, não trata a história com uspense, drama, nem inteligencia. Realmente não tem o elemento épico também. Perdeu a chance de trazer discussões, questões relevantes. Na verdade não discute absolutamente nada. Matt Damon atua como se não fosse desfiador estar abandonado em Marte. Não choca, não causa espanto nem nada. Achei um filme vazio, ficou na superfície do tema.

Caio Amaral disse...

Legal.. o filme tá fazendo tanto sucesso que comecei a ME achar meio marciano nessa crítica, hehe. O Interestelar é um filme com méritos maiores eu acho, mas que eu também tive certos problemas por outros motivos (a trama meio confusa, etc)... mas pelo menos tinha um tom sério de aventura bem interessante..

Rodrigo E. disse...

É um filme de marketing feito para NASA visando popularizar a ideia de empreitadas em Marte, ainda mais agora em face do que eles vem descobrindo. Mas é um filme de marketing acima da média.

Eu gostei dele, mas digo acima da média não sensacionalizando no sentido de dizer que é um marco para o cinema (se os elogios da mídia, que eu não li, levam a crer nisso, é claramente um exagero), mas que faz bem feito o que veio para fazer. Ele pega um tema importante (viagens espaciais, busca no desconhecido, etc) mas não trabalha com ideia de contribuir com muita originalidade, levantar grandes questões filosóficas, mas sim mostrar com uma boa dose de rigor científico (o filme contou até mesmo com consultores da NASA) para mostrar uma pessoa sobrevivendo numa situação extrema e como seria possível retirá-lo de lá, simplesmente.

Concordo com um monte de coisas que você disse, Caio (os chineses aparecerem é uma saída fácil, a tempestade no início é meio confusa e duvidosa, não existe nenhuma relação forte do personagem do Damon com alguém na terra, etc), mas achei o balanço final mais positivo.

Geralmente o humor me incomoda em filmes que não deveriam ser uma comédia, mas não tive nenhum problema com ele nesse aqui. Achei que foi bem encaixado e faz até sentido para o personagem do Damon. Só realmente fiquei com aquela vontade de ver algo mais significativo na cena final.

Só uma pergunta, Caio, por causa do seu comentário sobre os astronautas da NASA: qual a visão que você tem dos cientistas? Eu nunca estive na NASA ou conheci alguém de lá, mas mais do que nunca estou me convencendo de que quem trabalha com ciência está longe da imagem de uma pessoa extremamente austera (digo austera apenas na questão de aparência e comportamento), haha.

Anônimo disse...

Daqui a pouco a NASA obriga christopher nolan e ridley scott se juntarem e forjar a ida do homem pra marte pra passar na frente dos russos de novo, só porque sim.

Caio Amaral disse...

Oi Rodrigo! Eu não consigo dar muito crédito pro filme só por ele ter algumas coisas baseadas em fatos científicos.. lembrando que outras são invenção, como por exemplo a tempestade.. a maioria dos filmes do gênero são assim, não é uma grande inovação.. parte é científico, parte é inventado.. E eu não acho que as pessoas gostam de um filme pois ele foi "informativo".. explicou algo puramente técnico sobre algo que não tem nenhuma utilidade pra vida delas.. isso pode ser importante pra dar um ar de credibilidade pra história.. mas o que importa no fim são outras coisas.. "Jurassic Park" foi baseado em teorias científicas.. mas o que torna o filme memorável são as criaturas que ele mostra, a ação, as cenas marcantes, os personagens, a música, etc.. o mesmo vale pra "Contato", "2001", etc.

Se o humor não te incomodou então realmente temos sensibilidades muito diferentes.. acho que o humor explica bem mais o sucesso do filme do que a parte da ciência (pois estão na moda anti-heróis e coisas do tipo).. é o que a Ayn Rand fala no texto Bootleg Romanticism do Romantic Manifesto.. o filme quer atrair a plateia através de uma história dramática, de sobrevivência, etc, mas depois faz o herói rir de si mesmo, parecer tolo em certos momentos, não levar muito a sério o drama que está vivendo, etc.

Não acho que cientistas precisam parecer austeros não, hehe. Mas colocar a Kristen Wiig na NASA.. ou a Mackenzie Davis.. faz o lugar parecer uma reunião de comediantes, atores.. um sketch do Saturday Night Live.. é uma questão mais de aparência e temperamento.. eu gosto do jeito do Spielberg de lidar com isso em filmes, quando ele precisa criar um ambiente realista.. veja essas curiosidades sobre Contatos Imediatos e E.T.:

"Real air traffic controllers were used in the opening sequence. The synthesizer technician/performer was the actual engineer sent by ARP Instruments to install the synthesizer equipment (ARP 2500) on the set. Steven Spielberg watched his expert playing of the equipment and immediately cast him for the role. "

"The doctors and nurses that work on E.T. are all real emergency room technicians. They were told to treat E.T. the same way they would treat a real patient so that their dialogue and actions would seem real."

Mas isso é uma questão secundária.. não é o que me fez desgostar do filme. Abs!

Caio Amaral disse...

Hehe. Sobre forjar a ida a Marte.. recomendo o filme "Capricórnio Um" de 1977.. ótimo entretenimento.