terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Toni Erdmann

Tenho sempre um pouco de receio de indicar comédias pois desde pequeno noto que meu senso de humor não combina em nada com o das pessoas em geral. E embora eu tenha achado Toni Erdmann um filme extremamente sensível, original, bem atuado (as 2 performances centrais pra mim são dignas de Oscars), tenho que admitir que parte do motivo dele estar entre meus favoritos dos últimos anos é o fato de eu ter dado risada do começo ao fim (algo que talvez não aconteça com vocês que estão lendo isso). Então levem esse aspecto subjetivo do humor em consideração.

O filme está indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro e conta a história de um senhor que resolve viajar pra visitar sua filha - com quem ele tem uma relação um pouco distante - e que está passando por um período de bastante stress profissional. Há muitos filmes que eu gosto que se encaixam nesse formato de narrativa: uma figura externa (o pai / Toni Erdmann) chega pra resgatar o personagem central (a filha) de uma vida de stress e repressão. Mas poucos são tão originais no processo de atingir esse resultado. É meio que um filme de 1 piada só, mas o roteiro consegue criar situações tão diferentes o tempo todo que a fórmula não se esgota (mesmo ele tendo mais de 2 horas e meia de duração).

E claro, não é só o humor que torna o filme especial. Por trás de tudo há uma história tocante de relacionamento familiar e uma mensagem incrível sobre nunca perder o senso de diversão na vida.

------------------

Toni Erdmann / Alemanha, Áustria / 2016 / Maren Ade

FILMES PARECIDOS: Elle (2016)

NOTA: 8.5

Nenhum comentário: